Keys of Mystery

(Chaves do Mistério)

Nota do autor:

Esta é a minha primeira tentativa de escrita a sério. Eu estou a tentar escrever uma história que gostaria de ler.

Deixem as vossas revisões, para que eu assim possa melhorar não só a minha escrita mas também a minha história.

Esta é a tradução da minha história original Keys of Mystery, comecei esta tradução, a pedido de uma amiga minha (Pukanina espero que gostes ).

Prólogo

O ano é 2019, numa paisagem desértica, havia uma cidade em ruínas, e embora os arredores fossem desertos, a cidade estava cheia da vida, pessoas a venderem objectos encontrados nos destroços de uma cidade deslumbrante, outros vão reconstruindo edifícios. No meio da cidade havia uma grande praça, e no centro um grande monumento em honra de uma grande batalha que lá ocorreu e dos guerreiros que nela lutaram. No fundo uma inscrição dizia:

Em honra daqueles que lutaram a guerra invisível para proteger o mundo de seus perigos e para proteger a humanidade dela própria.

Em honra daqueles que morreram a lutar para livrar o mundo da depressão em que se encontrava.

Em honra daqueles que viveram para nos contar a verdade do mundo

Em honra de Raziel e de Snow que nos deu a liberdade.

Em honra da vida.

As pessoas que passavam pelo o monumento mostraram o seu respeito. As crianças sentavam-se em torno dos mais velhos que contavam as histórias da grande batalha que ali ocorreu, e dos heróis que a lutaram.

"Avô conta-nos a história do presente que o anjo Raziel nos deu." - Disse um menino novo enquanto se sentava no chão em frente do homem. - "Sim Avô conta-nos." – Disse uma menina de seguida. Ao mesmo tempo um grupo de crianças e de adolescentes se sentara em frente deste homem, que se estava sentando num banco pequeno ao lado do grande monumento.

"Há poucos que sabem a verdadeira história, dos eventos que conduzem aos dias de hoje. Eu conheci o homem que escolheu lutar por nós, apesar de ganhar mais em lutar pelos outros." - "Você conheceu-o?" - Um dos meninos perguntou muito excitado. - "Sim, eu conheci-o. Excelente rapaz, embora um pouco estranho para idade que tinha. Acreditou na humanidade, embora não acreditasse nos seus líderes. Mas sabia que era a coisa certa a fazer, e tinha fé que o que ele fizesse não seria em vão. Sofreu mais do que qualquer um poderia e sacrificou muito para nos dar o que nós temos hoje."

"Sim pois. E porque é que fugiu depois de a batalha ter acabado? Porque é que depois de nos deixar tudo em ruínas, não ficou para ajudar-nos a reconstruir?" – Perguntou um dos meninos que estava sentado no grupo.

"Não sejas mal agradecido, se não fosse por ele, não terias nascido, e o mundo ainda estaria em guerra, ou completamente sem vida. Se não fosse para ele a tua mãe teria morrido mesmo antes da guerra ter começado. E ele não fugiu, simplesmente foi em umas férias. Ele precisava do descanso, depois de tudo o que ele fez para nos salvar… Se tu estivesses no lugar dele, também farias o mesmo. Por isso da próxima vez que decidires criticar os outros, pensa primeiro."

O homem mais velho acendeu um cachimbo, e encostou-se na parede atrás dele e começou a contar a história de como o mundo se tornou no que é hoje.

Esta história começa no nascimento do universo. Os deuses juntaram-se para criar vida, por isso uniram todos seus poderes e criaram o universo. Durante milénios tudo corria bem. Foi então que um pequeno planeta chamou a atenção dos deuses, pois as suas criaturas estavam a evoluir naturalmente, até ao ponto onde uma criatura inteligente tomou conta do planeta, o Homem. E por muitos milénios tudo corria bem, os deuses escolheram partes da terra e ensinaram o Homem, e durante séculos o Homem adorou os deuses, e em sua honra o Homem criou a religião. Os deuses tinham muitos ajudantes, se assim se pode dizer. Anjos e demónios, muitos são desconhecidos aos para o Homem, outros como Raziel não são. Raziel era um Arcanjo, que se sentava ao lado dos deuses, e escrevia em um livro tudo o que os deuses diziam. Era um escrivão, dos deuses, por assim dizer. Mas não se deixem enganar, ele era um guerreiro exímio quando era preciso combater. Quando os deuses viraram-se uns contra os outros, ele era um dos guerreiros presente nas batalhas. No final, quando os deuses descobriram que a guerra tinha começado por causa da ambição do Homem, por isso os deuses fizeram uma promessa de não interferir, pelo menos directamente nas acções do Homem. Por esta razão os deuses enviaram mensageiros para a Terra, de forma a poderem influenciar o Homem. Estes mensageiros, chamados de Mestiços, são demónios ou anjos que viviam entre os humanos e poderiam influenciar as suas escolhas. Os seres humanos viam os Mestiços, apenas como outros humanos, mas havia alguns seres humanos que poderiam os ver como eles realmente eram, metade anjos, demónios metade humanos.

Por causa desta decisão dos deuses se afastarem do Homem, Raziel entregou o seu Livro aos seus Mestiços mais leais, para escondê-lo e guardá-lo. E embora os anjos e os demónios vivessem em paz, alguns ambicionavam o Livro, ou para eles ou os seus mestres. Isso leva ao inicio de uma "guerra-fria" entre anjos e demónios para a posse do Livro de Raziel. A luta foi prolongada até ao ponto que o livro um dia, simplesmente desapareceu e durante anos nunca mais se ouviu falar dele.

Em 1970, mais ano menos ano, num país remoto, um grupo dos arqueólogos encontrou o Livro, ao se aperceberem do que tinham descoberto, os arqueólogos entregam o livro à Organização das Nações Unidas para decidir o seu destino.

A ONU investigou o Livro usando todos os seus recursos, foram chamados peritos de cada área, e descobriram que poderiam avançar a tecnologia, a medicina humana entre outras áreas muito mais rapidamente com o auxílio do livro. Mas a que preço. Os avanços feitos com o auxílio do Livro foram notáveis. Mas ao mesmo tempo portais eram abertos, criaturas, demónios e animais de outros mundos atravessaram para a Terra. No começo os Mestiços conseguiram controlar a situação, integrando a maioria das criaturas no nosso mundo.

Algum Mestiços envolveram-se com os humanos, deixando de ser apenas influenciadores, alguns tiveram relações amorosas e sexuais com seres humanos, chegando mesmo a casar, mas eram incapazes de procriar. Isto deve-se a um factor genético, que tornava os Mestiços de alguma forma incompatíveis com os humanos. Mas um dia algo estranho aconteceu, de alguma forma um demónio Mestiço fêmea engravidou, o Mestiço era casado, e estava à espera de um bebé. Esta anormalidade estava descrita no Livro de Raziel, na forma de profecia, apesar de só ter sido descoberto alguns anos mais tarde, depois do nascimento do híbrido.

Como com tudo o que é diferente, no início os humanos tinham medo do híbrido. O que o Homem não sabia é que no futuro precisaria da ajuda do híbrido, para parar uma ameaça maior que o híbrido, uma ameaça que teria a imagem de inocência.