- Olha os dois namorados! – exclamou Paul ao nos ver entrar no refeitório de mãos dadas.

- Onde está George? – perguntei, ao notar que o lugar que ele geralmente ocupava estava vazio.

- Foi para a biblioteca. Vai ver está procurando a receita de um coquetel Molotov.

- É possível.

Richard chegou com uma bandeja de almoço cheia, parecendo surpreso.

- Então é verdade...

- Verdade o quê?

- Que vocês dois estão juntos. Todo mundo só fala nisso.

Olhei para Paul, que fazia cara de santo, olhando para o teto.

- Paul! Você contou para todo mundo?

- O quê? Não, claro que não. – ele respondeu, acrescentando – Só para algumas pessoas. Tipo, umas 5. Ou 10. No máximo 15.

- Paul!

- Humpf... Sensível...

Olhei ao meu redor. O refeitório inteiro nos observava, e um grupo de meninas vestidas de preto chorava num canto. Reclinei-me na cadeira e sussurrei, alto o suficiente para que só Christiane me ouvisse.

- Estamos mais famosos que Jesus Cristo...