-Capítulo Quatro-

A Sala de Taylor Kutcher

Henry e Wendy mal dormiram a noite pensando numa forma de como entrar no escritório de Taylor, Henry estava pensando sobre aquele assunto da caveira que estava relacionada ao incêndio da casa de sua família, queria investigar sobre o assunto mais a fundo e resolvê-lo o mais rápido possível. Henry se levantou e foi direto ao banheiro para lavar seu rosto e depois ficou horas se vendo no espelho pensativo. Alice continuava ainda muito estranha cheia de segredos, depois Wendy e Henry desceram as escadas juntos e se dirigiram até o refeitório para tomar o café da manhã e viram Eriel sobre uma mesa próxima sentado, Henry se sentou em uma cadeira a seu lado.

-Olá Eriel!Como tem passado a noite?

-Bem. –respondeu Eriel.

-Você sabe alguma coisa sobre o comportamento estranho de Alice?-perguntou Henry curioso.

-Não exatamente, parece que ela tem alguma ligação com a caverna.

-Dizem por ai que ela é sonâmbula, e fica andando por ai a noite, ela uma vez atacou um menino daqui do orfanato, a Helga a deixou de castigo por uma semana.

-Ouvi boatos de que a caveira que ela usa no pescoço a possui, ela a achou nos jardins daqui do orfanato.

-Você pode nos ajudar a conseguir a chave no escritório de Taylor?

-Posso. Mas se vocês querem entrar lá o melhor horário para invadir seria a meia noite.

-Vou levar minha irmã Wendy junto.

-Então está combinado a meia noite?

-Sim, vocês vão até o escritório enquanto eu distraio a Helga e o Taylor.

Henry explicou a Wendy tudo o que haviam combinado de Eriel ajudá-los a conseguir a chave do portão da caverna. As tarefas do orfanato estavam ficando cada dia monótonas e chatas, Lilian os mandava toda vez ajudar a varrer o quintal, dar comida aos pássaros,colher as frutas das árvores,regarem as flores e as plantas,Wendy já estava exausta com tanto e Henry foram até o refeitório almoçar quando de repente viram um bilhete jogado no chão,Henry o leu em voz alta:

Para Aurélia,

Encontre-me as 16:00 horas da tarde na Caverna

Um Beijo

Alice

Henry mostrou o bilhete a Wendy.

-Vamos ao jardim ver o que ela está tramando.

-Vamos. - disse Wendy.

Wendy e Henry foram correndo até o jardim, já era quatro horas da tarde quando viram novamente atrás das árvores Alice novamente conversando com a estranha caveira.

-Já está tudo combinado para capturarmos o garoto- disse Alice empolgada.

-Ótimo. – disse a caveira. – leve a sua varinha junto irá ajudá-la.

-Sim, minha lady. –e Alice fez uma reverência a caveira.

"Então elas estão planejando capturar e matar Eriel" pensou Henry, Wendy pensou a mesma coisa que o irmão.

-Herald suspeitou alguma coisa?-perguntou Alice a caveira.

-Ele não sabe de nada. –respondeu friamente a caveira. –Ele está viajando pelos vales da Escócia a procura de novas varinhas.

-Ótimo. –disse Alice energicamente.

-Se o mago descobre alguma estratégia de nossos planos estamos "fritas." – disse a caveira.

Era meia noite e Henry foi de fininho até o dormitório das garotas para chamar Wendy. Henry bateu na porta.

-Quem é?-perguntou Wendy.

-Sou eu, Wendy, Henry seu irmão. - e Henry entrou no pequeno dormitório: - Temos de chamar Eriel o mais rápido possível, antes que Alice o capture!

-Vamos. –disse Wendy.

Eriel estava dormindo e Henry o acordou, Eriel se levantou resmungando, Henry explicou como seria o plano e eles concordaram, Eriel foi até a sala da diretora para distraí-la dizendo que tinha visto no quintal um ladrão, depois chamou Taylor para vigiar a entrada e Wendy e Henry subiram rapidamente até o quinto andar. E viram um escritório muito organizado com uma escrivaninha e sobre ela muitas anotações, blocos, folhas, um tinteiro, penas, um armário bege com muitas taças decoradas e garrafas de champanhe. E do lado direito da sala havia uma enorme lareira e acima havia pendurado na parede um enorme quadro de uma pintura de Van Gohg. Henry e Wendy começaram a vasculhar todo o escritório a procura de alguma chave, Henry olhou e viu na janela da frente Eriel piscando para ele e fazendo sinal de que estava tudo ok lá embaixo.

-Wendy conseguiu achar alguma coisa?

-Nada. -Respondeu Wendy.

Depois ouviram passos vindos do corredor. Henry se virou e viu Eriel voltando e disse que Alice estava subindo, eles não souberam mais para onde se esconder,quando viram Alice já tinha subido as escadas seguida junto de sua amiga Aurélia as duas empunhando suas varinhas para Eriel, apavorado ele congelou de medo e gritou:

-Me ajudem!Socorro!

-Ahahaha!Riu Alice com um sorriso assustador e lançou um feitiço em Eriel, ele gritou de dor e caiu no chão se retorcendo. Logo depois vinha vindo atrás deles um senhor com umas vestes brancas muito longas e atrás sobre suas costas um capuz, tinha uma longa barba branca e cabelos brancos compridos, parecia ser um mago e segurava na mão um longo cajado.

-Deixe-o em paz Alice!Caia fora!

-Olha, vejam se não é o mago Herald Gaspar!

-Saia já daqui e apontou o cajado a Alice e Aurélia. E então as duas sumiram no ar se transportando largando uma fumaça negra no ar, as crianças vendo aquilo chocadas. Não tinham a mínima idéia do que estava acontecendo. Quando Alice sumiu deixou cair à chave do portão da caverna sobre o chão, Henry se agachou e pegou a chave depois olhou admirado para o mago, impressionado, seu coração batendo a mil.

-Crianças me encontrem nos jardins embaixo!-E então o mago sumiu no ar deixando uma clara fumaça branca, e Helga e, Taylor subiram correndo para o quinto andar.

-O que aconteceu aqui?-Perguntou Taylor.

-Ah, nada senhor- Disse Henry timidamente.

-Como nada, porque então estavam mexendo em minha sala?!- Perguntou o Taylor furioso.

-Ouvimos berros vindos de cima. – Disse Helga.

-É melhor darmos um belo castigo aos dois, Taylor. - Disse Helga rispidamente.

-Não, senhora Helga, por favor!- Disse Wendy indignada.

-É que a gente havia perdido uma coisa nossa e estávamos procurando...

-Sem mais nem menos mocinha os dois já de castigo!Ficarão sem comida amanhã e trancados em seus dormitórios e vão já para a cama já está muito tarde. E Henry e Wendy baixaram a cabeça e desceram as escadas quietos.