-Capítulo Cinco-

O Mistério do Colar da Caveira

Na manhã seguinte estava um lindo dia ensolarado, a primavera já estava chegando com lindas flores, o cantar dos pássaros assoviava, Henry e Wendy acordaram e mal tomaram o seu café da manhã e foram descer até o jardim procurando o mago, andaram por todo o quintal até achá-lo, quando uma hora o viram sentado sobre um rochedo pensando sério e segurando o seu grande cajado, Henry e Wendy se entreolharam de esguelha e foram em direção até o mago conversar com ele, o mago se virou e os avistou.

-Olá crianças tiveram um bom dia?

-Não muito- Respondeu Wendy.

-O que aconteceu?- Perguntou o mago.

-Taylor e Helga nos pegaram no escritório dele no quinto andar e nos deixaram de castigo, chegamos até aqui escondidos, depois temos que voltar ao dormitório, o que o senhor queria?

-Tenho uma coisa muito importante que vocês precisam saber- Afirmou o mago brevemente.

-Senhor consegui recuperar a chave..

-Ótimo- Disse o mago.

-Preciso falar com vocês dois dentro da caverna.

-Me dê a chave garoto.

-Sim senhor- E Henry tirou a chave do seu bolso da calça e deu na mão do mago.

-Vamos.

E o mago se dirigiu até o grande portão prateado e colocou a chave de ferro sobre a fechadura.

-Porque você não usa magia para abrir?- perguntou Henry. –Não posso usar no momento, pois, não quero ser descoberto – respondeu o mago. E então eles entraram na enorme caverna, estava muito escura, o mago acendeu uma luz muito brilhante em seu cajado e os guiou na caverna, morcegos saíram voando pela caverna. Wendy e Henry os observavam assustados e os morcegos saíram voando em sua direção e então Henry e Wendy se abaixaram, o mago disse que eles poderiam avançar sem medo que ele iria dar um jeito de espantar os morcegos.

-Temos que chegar até o centro da caverna. – Disse o mago. A caverna era muito úmida e fria, Henry e Wendy se arrepiaram de frio e seguiram o mago. – Chegamos!- disse o mago brandamente.

-Me ajudem a pegar lenha no canto. – Quero fazer uma fogueira.

-Sim senhor!- Henry e Wendy foram correndo buscar a lenha. –Muito obrigado crianças. -e o mago juntou as lenhas no centro do lugar da caverna, o mago bradou com seu cajado um encantamento:

-Fogus Cendios!- e surgiu fogo da ponta de seu cajado, acendendo a fogueira. O mago e as crianças se se sentaram sobre umas grandes pedras que haviam ali em volta em círculos, então esquentaram as suas mãos próximas da fogueira.

-Então. –Começou o mago. -Sobre o colar de Alice...

-Sim. – disseram ao mesmo tempo Henry e Wendy.

-Há muito tempo atrás, Amanda Ross viveu neste orfanato e era uma menina que havia descoberto a caverna no orfanato, a menina já tinha nascido com dons em magia e criou um colar com uma magia muito poderosa que ela havia selado sobre ele uma maldição e que toda a pessoa que não fosse assim.. Dona do colar e o possuísse, aquela pessoa então seria amaldiçoada e levada até a morte. Henry e Wendy trocaram olhares de pânico, começando já a ficar pálidos. Wendy falou:

-Então, Alice...

-Alice é a herdeira do colar da caveira e havia feito várias réplicas do colar idênticas para as pessoas venderem e passarem a outras assim amaldiçoando-as, crianças vocês são a esperança para destruir esta maldição e salvar a humanidade.

-Então nossa família... –Disse Henry com a voz trêmula.

-Sim, a família de vocês foi amaldiçoada pelo colar, com certeza. Alice é filha de Amanda Ross a que selou a maldição sobre o colar, ela morreu quando ganhou Alice, assim quando ela nasceu.

-Herald... precisamos voltar ao dormitório do orfanato ou a Helga nos "mata", pois estamos de castigo.

-Sim, já podem ir, já disse tudo o que queria que vocês soubessem, na próxima voltem à caverna quando precisarem. E Henry e Wendy saíram da caverna, passaram pelos jardins e subiram os andares superiores até seus dormitórios e ali se encerraram quietos.