1. O lenhador matou o lobo? O lobo é uma espécie em vias de EXTINÇÃO, sua besta assassina! Não basta andar a desbravar as árvores a torto e a direito ainda vai atacar os animais…

2. A picada de um fuso deixou uma bela jovem de dezasseis anos num sono profundo? Quantas jovens de hoje em dia sentem tamanha atracção por fusos, agulhas e outros amigos da costura? Quem é que com dezasseis anos sabe fazer mais do que costurar uma meia, um botão, uma bainha ou, vá lá, ponto de cruz? QUEM!?

3. Estradas feitas com tijolos amarelos? Estradas que com todas as partículas de poeira e poluição a dançarem alegremente pelo ar mantêm a sua bela cor amarela durante toda uma jornada? Acima de tudo, estradas mantidas pelo Estado QUE NÃO ESTÃO ESBURACADAS!?

4. Três porquinhos a construírem as suas casinhas quando bem entendem, onde bem desejam e com o material que bem (ou não) escolhem? E quanto ao Plano Urbanístico que foi previamente realizado tendo como objectivo o melhor interesse da comunidade? E as taxas? E os impostos?

NOTA: Devido à quantidade de construções ilegais que acabaram por ser reconhecidas como legais pelo Estado, ou, digamos, toleradas – apesar de todas as violações que a sua construção albergou e ainda alberga –, é necessário reconhecer o cariz de realidade contido neste conto em particular.

5. Pinóquio, a fenomenal marionete que fala e anda sem fios? Pois querido, mas nós já sabemos sobre as pilhas e baterias…

6. Uma princesa encontra um sapo e para além de não estranhar o facto de ele falar, ainda lhe dá um beijo? Nas verrugas? Sinceramente consigo pensar em várias outras coisas bastante mais prováveis de acontecerem… *caugh*coxinhas de rã*caugh*

7. Duas crianças são abandonadas pelos próprios pais nos bosques para se perderem e morreram. Em vez disso, comem (literalmente) a moradia de uma simpática e indefesa velhinha que do nada vira traficante de escravos e canibal. Em ordem a sobreviver, uma das crianças é obrigada a cometer assassínio a sangue-frio (ou fogo quente, como quiserem) enquanto que a outra se torna cúmplice de assassinato. No final pegam nos tesouros da velha (Esbulho violento? Furto? Não! É roubo!), voltam para os pais e vivem felizes para sempre. Mas com certeza que os Serviços Sociais iam AMAR saber de tudo isto! Psicólogos também! E nunca esquecer os media, que provavelmente ergueriam um altar a todo o cenário…

8. "Fera: Animal selvagem; animal utilizado para tarefas que exigem grande esforço físico, normalmente chamados de animais ou bestas de carga; qualquer tipo de animal quadrúpede, especialmente de grande porte." Então… "A Bela e o Monstro" é… Pansexualidade?

9. Apenas uma verdadeira princesa se sentiria incomodada por uma ervilha escondida por baixo de dezenas e dezenas de colchões? E se estes forem ortopédicos? E todas aquelas pessoas com problemas de coluna que à mínima alteração no colchão passam a noite em claro? Segundo este critério, QUANTAS PRINCESAS HÁ NO MUNDO!?

10. Quero um único nome de um príncipe encantado (Edward Cullen não conta, assim como outros personagens fictícios). Ouvi um "William"? Com aquela dentuça só desencantado! Então? Nada? Pois…

NOTA: Não me responsabilizo por qualquer suicídio que este ponto tenha provocado em alguma fã de Twilight. Eu sei que é difícil ser confrontado com a realidade e descobrir que o nosso amor para a vida na verdade não existe, nunca existiu nem nunca existirá, mas a vida continua. Acrescento também que apesar de possuir presas, ele é o típico príncipe encantado, então não venham com argumentos "mas ele não é o mesmo que o príncipe da Branca de Neve!"