Doce aroma da paixão__ Maya

Dia esplendoroso da primavera.

Fins de setembro me trazem boas vibrações.

E uma evolução de mim.

No entanto, aconteceu bem mais que isso.

Foi nessa época que te conheci.

O começo foi timidez de ambas as partes.

Você nem sabia da minha existência.

E muito menos ouvia falar de mim.

Foram só umas cinco semanas de convivência

E a ligação de conhecidos em comum, nos fez amigos.

Conversamos pouco, mas sabia de uma coisa:

Não era má pessoa.

Em meio às palavras sobre componentes eletrônicos e cálculos,

Você exibia um sorriso lindo.

Retribui o gesto.

Tremi um pouco, a alma aqueceu.

O coração seguiu no ritmo louco e ao mesmo tempo lento.

Em casa e sozinha,

Não parava de pensar em você.

Pode ser meio rápido para demonstrar meus sentimentos.

Pode ser genuíno ou confuso.

Amor ou flerte inconseqüente.

O que importa?

Seus olhos ofuscantes e o sorriso animador me contagiaram.

Por um tempo o esqueci.

E voltei aos meus costumeiros afazeres da aula.

Desenho simétrico numa máquina.

E um cansaço na véspera de fim de semana.

Querem o quê?

Não sou de ferro!

Foi apenas um alongamento dos braços e o desvio do olhar

Que te encontrei mais uma vez.

E mais uma vez aquele sorriso...

Não sei se sou ingênua ou de fato inexperiente no amor.

Eu vi. Aqueles olhos vivazes.

E seu jeito tímido, mas alegre de ser.

Tudo que gostaria era estar com você.

Poder abraçar-te ternamente.

E beijar-te com vontade.

Imagino o gosto que há neles.

Seu cheiro é a paixão ascendente em mim, em você.

Se me der uma chance, mostro-te como sou.

Posso ser medrosa.

Posso ser uma arrogante.

No entanto, sofro em silêncio.

Guardo minhas lágrimas.

E tento ajudar quem precise.

E digo: meu amor é o doce aroma da paixão.

Inara Angélica__ Maya Amamiya