A/N: Pelo visto eu tenho uma leitora dedicada aqui... Agradeço a review Bruna... E concordo que ler andando é problemático... Espero que goste desse novo capítulo...

Agradeço também aqueles que leem e continuam lendo essa história... Se quiserem, estão livres para postarem comentários...

A partir de agora, as atualizações serão mais lentas...

Raios de Luz

Capítulo 4: O Uivo Final do Lobisomem

Duas sombras negras pousavam em cima de uma casa na cidade de Crescento, uma lua cheia na cidade, elas observavam os guardas e moradores curiosos que foram ver o local da luta.

Suas formas ficavam como estátuas na note, suas grandes asas dando a eles uma aparência sinistra na noite.

"Akemi, você acha que esses lobos têm algo a ver com a relíquia?" Mamoru pergunta a Akemi, enquanto olhava com seus olhos vermelhos, a confusão que acontecia na praça, ele usava um lenço para limpar sua mão coberta por sangue.

"Talvez... Não sabemos ao certo... Mas uma coisa é certa, esses lobos não são desse mundo..." Akemi respondeu, analisando as pessoas por alguma pista de seu alvo.

"Vamos descansar por hoje Akemi, começaremos nossa investigação amanhã..." Mamoru sugeriu enquanto se preparava para levantar voo.

"Tudo bem, vamos procurar uma pousada que fique longe daqui..." Ela respondeu para Mamoru, ela não estava cansada, aliás, ela gostava da noite. Porém, ela achava que seria melhor eles descansarem um pouco antes de continuar sua investigação.

Os dois demônios voaram em direção ao céu e desapareceram como sombras na escuridão...

Mal perceberam eles que um garoto, que olhava nessa particular direção, viu os dois demônios desaparecendo com olhos de surpresa e choque.

"Quem são eles? O que são eles?" O garoto de cabelos longos e brancos perguntava a si mesmo.

"Talvez meu pai vá querer saber sobre eles..." O garoto pensou pra si mesmo, enquanto coletava informações um dos corpos com uma câmera, ele iria as enviar para seu pai depois.

"Pelo visto, esse lobo infernal teve a cabeça perfurada por algo..." Ele pensou a si mesmo enquanto saia do local.

Esse garoto se chamava Fenrir Mackson. Quando ele perguntou ao seu pai o por que de ter o nomeado a partir de um lobo, ele respondeu que foi algo que surgiu do nada na cabeça dele e de sua mãe, então foi esse nome.

Fenrir era jovem, ele possuía 18 anos, e era um exímio investigador, ele possuía cabelos lisos porém curtos de cor cinzenta azulada, uma cor anormal para alguém ter em seu cabelo.. Seus olhos eram de cor azul escuro e sua pele era branca como a lua... Ele estava vestindo uma vestimenta típica de um detetive. Ele era considerado um prodígio e até mesmo a CIA foi atrás dele e de seu intelecto. Ele está ajudando seu pai nesse caso particular, porém depois do massacre dos rebeldes, ele decidiu investigar o fenômeno dos lobos infernais.

Uma coisa que o deixou preocupado, é que seu pai ficava pouco tempo na pousada em que eles estavam. Ele parecia um pouco mais violento, e impulsivo...

Mesmo assim, essas duas criaturas que ele observou desaparecerem do telhado de uma casa... Ele irá investigar isso junto com seu pai...

Com Mamoru e Akemi...

Os dois já haviam chegado a uma pousada localizada no fim da cidade, ela parecia ser bem confortável, então eles alugaram um quarto... Com camas separadas.

Entrando no quarto, Mamoru imediatamente caiu em sua cama de costas, olhando pra cima.

"Mamoru? Algo errado?" Akemi perguntava a seu melhor amigo.

"Não... Apenas que... Eu me senti poderoso contra aqueles lobos... Eu me senti bem quando atravessei minha mão na cabeça daquela criatura... Eu deveria me sentir enojado... Isso não é certo..." Mamou explica para Akemi, olhando para sua mão com um pouco de nojo.

A garota de cabelos roxos, deitou ao lado dele na cama, também olhando pra cima.

"Bem, pra falar a verdade, eu também me senti bem transformando aquele lobo em mingau... Eu me senti eufórica em uma luta... Senti até vontade de tortura-lo..." Akemi respondeu ao seu amigo. Depois de um tempo de silêncio, ela ficou de lado e colocou uma mão na bochecha de Mamoru, o fazendo olhar pra ela.

Ele estava preocupado em se transformar em um monstro...

"Mamoru... Não se preocupe com isso... Demônios geralmente gostam de lutar... E já que somos demônios agora... Mas não se preocupe... Nossa personalidade vai ser a mesma... Sempre que tivermos um ao outro..." Ela falou para ele em um tom sincero e amoroso.

Mamorou também virou de lado e abraçou sua amiga.

"Obrigado Akemi..." Ele sussurrou no ouvido dela.

Eles ficaram nessa posição por um tempo, ambos se sentiam bem ao lado um do outro desse jeito... Porém, acabaram percebendo a posição em que estavam e lentamente, com as faces avermelhadas, se separaram um do outro.

"Bem... melhor irmos nos arrumar para dormir..." Mamoru sugeriu, sua face ainda avermelhada.

Ambos dormiram tranquilamente nessa noite... Tendo sonhos felizes um com o outro...

No dia seguinte... De tarde...

Fenrir estava confuso... Seu pai estava muito mais agitado do que antes após o relato dele... Ele ficava olhando para ele e dizendo coisas como herdeiro, ira, lua crescente...

Seu pai saiu correndo então do local... Silenciosamente, ele decidiu seguir seu pai e ver o que ele estava querendo aprontar... Notando que os lobos infernais o deixavam em paz... Até mesmo abrindo caminho para ele...

Naturalmente, seu pai acabou correndo, e ele perdeu-o de vista... Droga, agora ele terá que se contentar em continuar a investigar o local sem saber o que acontece com seu pai...

Balançando a cabeça em frustação, Fenrir começou a voltar pra casa para pegar um carro... Ele iria até o bar em que seu pai coletava informações...

Com Mamoru e Akemi...

O casal demoníaco estava perguntando por informações na cidade... Eles perguntavam sobre um tal de Karl Mackson que andará investigando os terroristas do local... No momento eles se encontravam em um pequeno bar de aparência suspeita, bêbados ocasionalmente saindo do local. Ambos estavam vestidos com jaquetas, os capuzes cobrindo suas cabeças. Assim como luvas roxas para não deixar digitais.

"Esse homem? Sim, ele já passou aqui às vezes, sempre pedindo informações..." O atendente do bar em que eles se encontravam respondeu a eles, ele tinha cabelo black power e um bigode estilo anos 80. Ele era pardo e usava um pano para limpar um copo de vidro.

"O que ele pedia do senhor?" Mamoru perguntou, olhando-o intensamente.

"Estamos atrás de informações sobre ele... Ele... Desapareceu há um tempo... Nós somos... Conhecidos dele..." Akemi mentia, em tentativa de convencê-lo a dar informação.

O homem a olhou por um tempo, e então resolveu falar:

"O que eu ganharia dando essas informações a você garota?" O homem perguntou com imprudência, sorrindo pra ela com um olhar que emanava luxúria.

Mamoru se irritou com ele instantaneamente, como ousa ele fazer uma insinuação dessas a sua melhor amiga? Seus olhos começaram a brilhar...

"Ora seu..." O jovem demônio começou, porém Akemi o parou... Seu cabelo cobrindo seus olhos... Então ela começou a rir malevolentemente.

O Homem do bar a olhou estranhamente por um tempo, começando a se sentir com um pouco de medo desses dois... A aura que eles começaram a emanar fizeram os outros clientes a sair do local, os cabelos do pescoço do homem começaram a ficar arrepiados.

Quando Akemi mais uma vez levantou seus olhos Ametistas, eles brilhavam sinistramente, o sorriso em seu rosto nada ajudava o medo que o pobre mortal sentia.

"Você ousa pedir tal coisa de mim... Humano?" Sua voz dava arrepios ao homem, ele começou a se sentir amedrontado, sem nenhuma razão ele pensava. Olhando lentamente para o garoto de olhos vermelhos que brilhavam sinistramente, ele engoliu saliva.

"Eu não sei que truque é esse, mas eu não vou dar nenhuma informação sem nada em troca!" Ele exclamou, tentando vencer seu medo, e intimidar os dois jovens.

Mamoru e Akemi olharam um para o outro, eles fizeram um acordo silencioso e então lentamente voltaram a olhar para o Barman.

"Temos uma proposta..." Mamoru falou silenciosamente... Ele levantou sua mão, e com seus poderes sobre a gravidade, fechou as janelas e a porta do local. Jogando várias cadeiras para certificar que ninguém entre no local. Ele revelou suas asas cinzentas ao barman, que urinou nas calças de tanto medo.

"As informações por sua vida..." Akemi propôs com um tom malévolo, revelando suas asas e usando seus poderes para segurar o pobre mortal na parede.

O barman não podia acreditar nisso... Isso tinha que ser um pesadelo! Eles... Eles... Eles não são humanos! São demônios! Ele começava a suar frio, seus olhos demonstrando puro terror.

"Eu falo, eu falo! Ele me contava que procurava informações sobre rituais de magia negra! Que havia achado uma espécie de caverna na floresta ao norte da cidade! Ultimamente ele andava muito violento, e havia me dito que iria a floresta mais uma vez! Por favor, não me matem!" O homem gritou as informações, enquanto implorava por sua vida.

Mamoru começou a sentir pena do pobre mortal, e já possuindo as informações que necessitavam, ele falou.

"Sua ajuda foi apreciada humano, agora durma, isso tudo foi um pesadelo..." Mamoru respondia, enquanto mandava uma onda gravitacional em direção ao barman. O pobre humano bateu a cabeça na parede e perdeu a consciência. Akemi o deixou no chão gentilmente.

"Apesar do fato que ele merecia isso depois de ter dito a quilo a você... Acho que fomos longe demais..." Mamoru falava com uma voz de culpa, ao mesmo tempo em que pensava que tinha feito a imitação perfeita de um vampiro.

"Não importa, temos o que precisamos... Vamos indo..." Akemi respondia, ela também sentia culpa, mas também se sentia justificada por ter feito isso com esse molestador. Ela e Mamoru rapidamente colocaram os objetos em seus devidos locais e saíram do local pela porta da frente... Ou pelo menos essa era a intenção de Akemi, Mamoru segurou o ombro dela.

"Seria mais rápido se fossemos voando daqui... É provável que alguém tenha chamado à polícia... Seria mais seguro, já atraímos suspeitas demais..." Mamoru sugeriu a sua melhor amiga, fazendo questão de que o local estava vazio.

"Sim, tem razão... Vamos voar Mamoru! O último a chegar irá pagar o jantar!" Akemi começou a rir e, conjurando suas asas, levantava voo.

"Ei!" Mamoru também chamou suas asas e levantou voo atrás dela.

Mal percebiam eles que um certo garoto os estava observando.

"Aparentemente, eu acabei encontrando algo muito interessante... O que serão essas criaturas? Daqui eles pareciam humanos..." Fenrir pensou a si mesmo, enquanto andava em direção ao bar.

Ele entrou e percebeu uma coisa... O local estava deserto, o barman não estava em local nenhum...

Ele começou a procurar o local, estranho... O bar era para estar movimentado...

Ele andou até o balcão do bar, onde o barman normalmente estava... Ele levou um susto ao ver o barman desacordado... Ele pensou que ele estava morto... Mais um breve exame em seu pulso confirmou que não era nada grave... Ele então decidiu acordá-lo.

"Oi, acorde..." Fenrir falou com impaciência.

Ele balançou o homem, até o mesmo começar a lentamente se levantar... Quando o barman o olhou, ele gritou de terror.

"AAAAHHHH! Por favor não me machuque! Eu já disse que tudo que queria saber!" O barman suplicou, se ajoelhando e gritando... Fenrir começou a ficar irritado.

"Olhe pra mim e me diga o que aconteceu aqui!" Fenrir ordenou a ele, mostrando sua identidade como agente da CIA.

O homem se acalmou, porém ainda tremia...

"Monstros! Eles eram demônios! Um garoto... E uma garota!" Ele gritava em medo, com medo que eles voltassem.

"Por favor, se acalme, meu nome é Fenrir Mackson, você deve ter falado ocasionalmente com meu pai... Karl Mackson..." O garoto respondeu ao barman, tentando conseguir o máximo de informação possível. O pobre homem olhou para o garoto, sua expressão uma de terror.

"Seu pai... Esses demônios foram atrás do seu pai! Eles estão indo a floresta do norte!" O homem gritou desesperadamente ao garoto.

Fenrir ficou com os olhos arregalados de surpresa... Aqueles seres... Estavam atrás do pai dele?

"Maldição, eu vou atrás deles!" Fenrir gritou com desespero, porém, antes de sair, ele notou um pequeno fio de cabelo roxo no balcão. Sem pensar duas vezes, ele pegou esse pequeno fio com uma pinça que estava em seu bolso, rapidamente a guardando em uma pequena sacola de plástico usada para guardar evidências criminais.

Com isso, ele foi correndo até seu carro... Ele só espera poder ajudar seu pai o máximo possível...

Com Akemi e Mamoru...

Eles estavam no meio da floresta... Alguns corpos de lobos infernais os cercavam... Eles haviam sido atacados diversas vezes, porém, usando táticas parecidas com as que usaram contra os dois primeiros, eles facilmente derrotavam esses lobos.

Sua presa estava diante deles, Karl Mackson parecia estar em um estado de ira, pois algumas árvores estavam destruídas.

O homem olhou pra eles...

"Grr... O que vocês querem!?" O homem gritou sua pergunta.

Akemi e Mamoru pareciam assustados, porém suas mentes já estavam decididas.

"Você é a origem desses lobos?" Mamoru perguntava ao Karl.

"Grr... Eles me ajudam agora! Vocês querem as Garras? Nunca as irão ter!" O homem, cujos olhos queimavam de ira profunda, pareciam estar possuídos.

O casal demoníaco percebeu que ao matar esse homem, além de conseguirem mais poderes de Adamantes, eles poderiam resolver o problema dos lobos infernais.

"Estamos aqui para te matar... Karl Mackson! Você violou uma das relíquias, e agora foi condenado a morte!" Akemi afirmou ao agente alterado, sua voz não demonstrava nervosismo.

"Grr... Essa relíquia... Ela já tem um dono! E é meu dever entrega-las a ele! A Aquele que possui meu sangue! Grr... Minha fúria é enorme... Vocês... VOCÊS IRÃO ACALMAR MINHA IRA!" O homem começou a uivar feito um lobo... E... Aconteceu uma coisa que deixou ambos os adolescentes chocados...

Seu corpo... Começou a se contorcer... O homem gritava de dor e raiva... Pelos iam crescendo em toda parte de seu corpo... Sua cabeça tomava um formato canino... Seus músculos cresciam... A ponto de rasgar parcialmente suas roupas... Garras afiadas se formavam em suas mãos... Seus dentes ficavam afiados e grandes... Seus olhos mudaram para uma cor dourada e brilhante... No final da metamorfose... Karl Mackson ficou o dobro do tamanho de um humano normal... Chegando a ficar do tamanho de uma árvore pequena.

Mamoru e Akemi olhavam para a criatura gigante e assustadora... Akemi começou a sentir medo, andando lentamente para trás.

Mamoru segurou o ombro dela... Ele já havia conjurado suas asas... E olhava intensamente o lobisomem na frente deles...

"Agora temos uma boa razão para mata-lo... Ele é uma ameaça às pessoas dessa cidade... Não se preocupe Akemi... Nós vamos conseguir!" Mamoru murmurou pra ela, seu tom de voz era carinhoso.

Akemi olhou para ele e sorriu, também conjurando suas asas, ela e Mamoru levantaram voo. Essa não seria uma luta fácil...

O Lobisomem gigante uivou ferozmente, a onda de choque de seu uivo fazendo os dois adolescentes perder o balanço no ar... Ele jogou suas garras enormes contra Akemi, que ainda estava desorientada.

"Akemi!" Mamoru voou até ela, e puxando o braço dela, á tirou da rota de colisão das garras... As lâminas acertaram uma árvore, e, assustados, os adolescentes perceberam que as garras cortaram perfeitamente a árvore...

"Vamos voar mais alto!" Mamoru gritou para Akemi, sua amiga concordou, e eles voaram um pouco mais acima da cabeça do Lobisomem.

Mamoru lançou uma onda gravitacional em direção ao Lobisomem, o fazendo tremer um pouco de dor, porém ele não caiu.

"Grrr... AAAAHH!" Karl rugia, ele arrancou uma árvore com seus poderosos braços, á estilhaçou com suas garras... E lançou os pedaços em direção a Mamoru...

"Hah!" O jovem demônio desviou dos troncos, porém um deles o acertou de raspão na perna.

"Ahh!" Mamoru gritou de dor... Ele tinha certeza que naquela velocidade... Ele teria perdido uma grande parte da perna... Porém apenas sua calça foi rasgada...

"Pelo visto, é verdade que somos mais resistentes que humanos comuns..." Mamoru pensava para si mesmo, enquanto usava seus poderes para redirecionar partes daqueles troncos em direção ao Lobisomem.

Os troncos, impulsionados com uma forte onda gravitacional, acertaram em cheio o lobisomem, deixando alguns cortes. Porém isso não deixou o lobisomem nem um pouco mais fraco.

O lobisomem foi acertado na cabeça por uma pedra grande, cortesia de Akemi, que sorria para o Mamoru.

A criatura uivou de dor, a pedra havia sido impulsionada, e havia quebrado quando impactou com sua cabeça.

Os Adolescentes aproveitaram que ele estava imobilizado, e lançaram juntos uma grande onda gravitacional, que puxou com força o lobisomem contra o chão. O impacto chegou a tremer o chão.

O lobisomem, visivelmente irritado, uivou com toda sua força... As ondas sonoras de seu uivo foram tão fortes, que as árvores começaram a tremer... Os adolescentes começaram a ter problemas... O som era irritantemente alto, e eles começaram a sentir náusea por causa das ondas...

A criatura medonha, aproveitando situação, pulou alto e com suas garras, atacou Mamoru, fazendo quatro cortes profundos nele, e o mandando contra o chão.

"AAHHH!" O jovem de olhos vermelhos gritou de dor, ele impulsou suas asas para baixo e usou seus poderes para tentar abafar a queda... Ele conseguiu... Mas ele foi bastante ferido...

"MAMORU!" Akemi lançou uma onda contra o Lobisomem, que ainda estava no ar, e o mandou diretamente para o chão em um local não muito longe de onde eles estão... Ela voou até ele.

"Mamoru, Mamoru! Você está bem!?" Ela perguntou a seu melhor amigo, claramente preocupada com ele... Ela olhava o sangue saindo de suas feridas com terror e medo...

Mamoru pegou em suas feridas...

"Está doendo muito... Mas eu estou bem... Eu tenho certeza que isso deixaria uma pessoa comum incapacitada ou até morta... Mas somos muito mais resistentes do que aparentamos..." Ele falou a ela, tremendo de dor, porém nada tão grave para um demônio...

O Lobisomem apareceu mais uma vez na frente deles... Ele estava babando agora...

"GRRR... GRAAAAAHH!" A criatura rugiu e tentou agarra-los... Porém eles eram mais rápidos...

"Vamos tentar uma coisa!" Mamoru exclamou, e voou rapidamente em direção ao lobisomem, desferindo um soco contra a cara do monstro, como esperado, o soco foi forte o suficiente para derrubá-lo.

"Nossa força física aparentemente também é maior! Vamos nessa Akemi!" Mamoru gritou com confiança, o lobisomem se levantava, e mais uma vez tentou pegar o garoto. Mamoru, afetado pela dor de suas feridas, não conseguiu esquivar a tempo, e foi agarrado pelas mãos do lobisomem.

"Droga!" Mamoru disse com irritação, tentando se soltar... Esse ser era mais forte do que ele imaginava... Ele tentava se soltar, mais a força do lobisomem era superior... Então, a criatura começou a apertar ele... Tentando esmaga-lo...

"Ghaaah!" Mamoru gritava de dor, ele tentou usar seus poderes para repelir as mãos dele... Ele estava conseguindo... Mas o lobisomem fazia mais força...

"Droga..." Mamoru falou para si mesmo... Porém, do nada, a força se foi... Ele ouviu um barulho que parecia ser explosão de carne... Ele virou sua cabeça... E ficou chocado...

Akemi estava com sua mão perfurando o tórax da criatura... Que havia explodido em uma chuva de sangue... Ela aparentemente havia esmagado o coração da criatura com suas mãos... Ela devia ter voado longe... E em seguida... Ela devia ter voado com tudo na direção da criatura... Usando seus poderes para ganhar impulso extra antes do impacto... Enfiando sua mão contra o peito da criatura...

A mão que segurava Mamoru caiu... Seguida lentamente pelo corpo enorme do lobisomem...

Antes de morrer completamente porém... A criatura conseguiu fazer um som...

"O..bri...ga...doo..." A cabeça da criatura caiu para o lado... Morta...

Mamoru e Akemi estavam chocados... Eles haviam matado uma pessoa... Akemi estava olhando para o sangue que a cobria... Chocada... Culpada, enojada... Mamoru chegou com ela... A colocou em seus braços e levantou voo... Querendo sair o mais rapidamente o possível daquele local... Akemi o abraçava fortemente... Mamoru a segurava e tentava confortá-la...

Eles não perceberam duas coisas...

Uma é que o lobisomem lentamente se transformava de volta em humano...

A segunda coisa era que Fenrir... Havia chegado ao final da luta... Em tempo de ver o lobisomem ter o peito aberto com um soco...

Ele olhou para o corpo humano que estava no chão... Seus olhos ficaram aterrorizados...

"Não... Não pode ser..." Fenrir falava pra si mesmo enquanto corria em direção ao pai...

"Não... Não... Não... Pai!" O jovem corria em direção ao homem... Seus olhos estavam fechados... Seu coração havia explodido... Ele estava morto...

O corpo, porém... Começou a ter uma convulsão... Fenrir pensou que seu pai pudesse estar vivo... Mas apenas as seguintes palavras saíram de sua boca morta...

"Ahh...Garras... Lua... Crescente... Ira... Herdeiro..." Essas palavras saíram de sua boca... Porém ele já estava morto...

"PAAAAAAIIII!" Fenrir gritava de tristeza, se ajoelhando e chorando sobre o corpo do pai...

Capítulo 4: FIM...