Prólogo

Há milhares de anos os Deuses deram ao planeta Terra o poder dos Elementas e colocaram-no sobre a guarda de cinco Espíritos que tinham o dever de zelar por todos os seres que ali viviam e fazer com que houvesse paz.

Porém os humanos não sabiam viver em paz, e abusavam do poder dos Elementais para fazerem guerras e tornarem-se poderosos.

Os Espíritos tentaram a todo custo fazê-los entender que aquilo era errado, mas não houve trégua e, quando o ápice da guerra chegou, houve a destruição do planeta.

Então os Deuses, reconstruíram o planeta, os seres sobreviventes foram ali recolocados, deixando, novamente, nas mãos dos Espíritos a proteção necessária a todos.

Dessa vez, os Espíritos cientes de que os Humanos não viveriam em paz com o poder dos Elementais, decidiram por tirar-lhes tais poderes.

Assim, cada um dos cinco Espíritos foi em um local escondido de um dos cinco continentes do planeta e selaram o poder dos Elementais em um fragmento de Cristal, retirando-o de cada um dos continentes. Reuniram-se na Atártida, o único continente que continha o poder de todos os Elementais e criaram o Cristal dos Espíritos, que continha todo o poder dos Elementais dos outros continentes.

Para criar o Cristal, os Espíritos teriam que se sacrificar, então fizeram com que os Humanos ocupantes da Antártida prometessem que cuidariam da proteção do Cristal. Para tanto, cada reino de Antártida manteria um grupo de Humanos que poderia controlar um dos Elementais e esses Humanos seriam os Guardiões do Cristal dos Espíritos.

Os Humanos que nascessem com o poder dos Elementais, seriam treinados e quando se tornassem da Guarda do Cristal fariam um juramento para a sua proteção, e se, por algum motivo o juramento fosse quebrado, perderiam os poderes dos Elementais.

E por anos houve paz.

O Cristal dos Espíritos ficava nas montanhas Atizar e além de conter o poder dos Elementais e a essência dos Espíritos, ela garantia ao continente de Antártida proteção contra qualquer tipo de ataque.

A política na Antártida era democrática, e seus governantes eram hereditários. Haviam cinco reinos, cada reino continha sua família real que governava sobre seu território, e havia um conselho onde todos os reis e rainhas se uniam e era decidido democraticamente as medidas a serem tomadas para o bem de Antártida e do Cristal do Espíritos.

De dez em dez anos o presidente do conselho mudava entre as cinco famílias reais. A sede do conselho ficava no reino de Pamisses que se localizava no centro do continente e tinha ligação direta com as montanhas Atizar.

Por conta da proteção fornecida pelo Cristal dos Espíritos, o continente da Antártida era o mais desenvolvido, e se transformou na potência mundial, intelectual e econômica, porém a população do continente tinha apenas uma preocupação: a guarda do Cristal dos Espíritos.

Foi então que um dos Guardiões do Cristal, Tifus, encantado pelo poder da Pedra continha, e que fornecia aos Guardiões encheu-se de cobiça. Tentou fazer uma proposta ao presidente do Conselho da Antártida para que utilizassem do poder do Cristal através dos Guardiões do Cristal e dominassem todo o planeta.

A proposta foi negada após a sua apresentação, afinal o Cristal dos Espíritos deveria justamente impedir que houvesse guerras e dominações de um povo sobre o outro. Tifus perdeu seu lugar entre os Guardiões do Cristal e ficou avisado que não deveria mais tocar no assunto, caso contrário seria preso.

Indignado com a ação do Conselho, Tifus fugiu para América do Norte. Lá, foi levado diretamente ao Imperador de Washington, capital da América do Norte e lhe contou os segredos de Antártida.

A princípio o Imperador riu de sua história, pois todos já ouviram falar sobre a lenda do Cristal dos Espíritos, então Tifus, utilizando de seu poder sobre o Elemental Fogo provou ao Imperador que a lenda era real. Contou-lhe a localização do Cristal, que não poderia ser tirado das montanhas da Atizar, e que isso fazia com que o poder dos Elementais fosse limitado à Antártida, ensinou como passar pelos Guardiões do Cristal para destruí-lo, liberando novamente o poder dos Elementais para todo o planeta.

Antes que Tifus pudesse ajudar na investida contra Antártida e o Cristal dos Espíritos, ele perdeu seu poder Elemental e deixou de ser um Guardião, esperando que, quando o Cristal fosse quebrado, seu poder retornaria.

Encantado com a possibilidade de poder e conquistas, o Imperador de América do Norte, enviou uma tropa disfarçada até a montanha de Atizar para que destruíssem o Cristal.

Quando o Cristal foi quebrado, ele se fragmentou em cinco partes que sumiram momentos depois, sem com que o poder dos Elementais fosse liberado e Tifus foi morto como traidor.

Após anos, vários estudiosos das montanhas Atizar descobriram, em escrituras nas cavernas das montanhas, que cada um dos fragmentos do Cristal iria reaparecer em um dos continentes do planeta.

Para recuperar os fragmentos, os Espíritos renasceriam em cinco Humanos, das famílias reais de Antártida que deveriam ser treinados e mandados para procurá-los assim que o aniversário de mil anos da quebra do Cristal se completasse. Os Humanos deveriam ser mandados para encontrar os fragmentos na data correta, caso contrário, o poder dos Elementais seria novamente distribuído para todos do planeta.

Tais humanos seriam conhecidos como Guerreiros dos Espíritos.

Guerreiro da Terra, do reino de Pamisses.

Guerreiro do Ar, do reino de Saceste.

Guerreiro da Água, do reino de Cerdent.

Guerreiro do Fogo, do reino de Destrelon.

Guerreiro do Éter, do reino de Nórican.

Guilherme, foi o primeiro guerreiro a nascer, um ano depois veio Arthur, após dois meses Alice, um ano após o nascimento de Alice, veio Lara. Todos estavam apreensivos, pois ainda faltava um Guerreiro, mas dois anos após o nascimento de Lara veio Ivan.

Quando os fragmentos fossem encontrados, os Guerreiros deveriam retornar à Antártida e com o poder dos Espíritos reencarnados, deveriam juntar os fragmentos reconstruído o Cristal do Espíritos.

Há milhares de anos a história se repete, os Espíritos criam o Cristal dos Espíritos que é fragmentado e renascem como Homens para tentar reconstruí-lo.

Há milhares de anos, os Guerreiros dos Espíritos falham, o poder dos Elementais se espalha sobre o planeta gerando o caos, o planeta é destruído, os Deuses o reconstroem e o ciclo se repete.

Há milhares de anos, ao renascer como Homem, o Espírito cai em tentação.