A lenda mais antiga da nossa história diz que os primeiros Deuses nasceram juntos.

O primeiro momento, onde tudo começou, foi o nascimento deles. Antes disso, ninguém sabe o que existia. Talvez fosse um Ovo. Talvez fossem os Pais.

Quem sabe, poderia haver um outro universo antes disso tudo.

O primeiro Deus era a Luz. Ele viajou para os cantos mais profundos do universo, marcando tudo como o seu território. Naquele tempo, nada podia viver. Nada podia crescer. Apenas a luz, brilhante e quente, por todo lugar. Nós chamamos essa época de "O Reinado do Fogo".

Então, o segundo Deus fez seu primeiro movimento. Ela era a Sombra, e se espalhou entre a luz. O calor se desfez, e a vida começou a nascer. No horizonte, brotou a água, que se espalhou pelo mundo em seu negrume. Da água, veio a Vida, que criou os primeiros seres. Esse foi o "Tempo da Semeação".

Mas o Deus Luz não aceitou isso. Ele voltou, com seu calor, e quase destruiu o que a Vida havia criado. O Deus Sombra e o Deus Luz entraram então numa incrível batalha. O frescor do escuro e o calor da iluminação se mesclaram nos céus, nenhum em vantagem ou desvantagem. Essa foi a "Batalha do Fim do Começo", assistida apenas pelos primeiros seres e pela própria Vida.

Durante eras, a batalha continuou, sem nenhum lado sair vencedor. Ambos os Deuses estavam exaustos. A Luz havia sido presa em uma cúpula de escuridão, e a Sombra havia sido transpassada incontáveis vezes pelos raios de luz. Os seres agüentavam em silêncio conforme o mundo os aceitava e os rejeitava, dependendo do Deus havia sido ferido. Nas águas negras, a Vida chorava, rezando por algo que pudesse terminar aquele longo conflito.

Então, nem dos céus nem das águas, um novo Deus nasceu. Ele encerrou a Luz e a Sombra nos céus, eternamente separados um do outro. Assim, passou a haver o Tempo de Luz e o Tempo de Sombra no mundo, e os seres foram poupados da constante mudança dos céus e da terra.

A Vida, feliz com o fim do longo conflito, apaixonou-se por aquele que pusera um fim no sofrimento de seus seres. Contudo, ele era um Deus sobre a terra e ela era uma Deusa sob as águas. Por mais que pudessem se ver e se tocar, não podiam estar realmente juntos.

Assim, a Vida preparou os seres para seguirem até o Deus sobre a terra. Eles conseguiam resistir o suficiente para chegar até lá, mas, assim que ele tocava os seres, eles se tornavam vazios de Vida. Porque o Deus sobre a terra era o Deus Morte.

Ainda assim, os seres até hoje continuam seguindo até a Morte. É uma longa e árdua jornada, mas todos o fazem. Porque os seres amam a Vida, tanto quanto a Vida ama a Morte. Para mostrar esse amor, eles aceitam o abraço final com a maior felicidade do universo.

Isso, nós chamamos de "Caminho".