Arquivos Secretos #01

A fita continuava sendo exibida pela TV da iluminada e monocromática sala de reuniões, o cronômetro num canto da tela revelando já terem se passado alguns minutos desde a primeira hora de duração. O major, sentado atrás da mesa que o separava do aparelho, conservava os olhos atentos à gravação, achando no Bruce Goldfield de turbante e lenço não só uma figura desafiadora pela firmeza de seu olhar e entonação da fala, mas enigmática – num nível que nem a WAC poderia desvendar, mesmo após ele ter feito parte dela por quase vinte anos.

– Acredita que ele enviou isso à imprensa? – a voz rouca e ríspida veio da extremidade direita do móvel, o homem de cabelos grisalhos cobertos pela boina azul tendo um cotovelo apoiado sobre o tampo, as divisas de coronel nítidas na manga da farda.

O major endireitou-se no assento estofado antes de responder:

– Não. Ele está nos desafiando, em primeiro lugar. Tentando recrutar nossas próprias fileiras à sua causa.

O coronel não emitiu reação, fosse por fala ou gestos – continuando a assistir ao relato gravado pelo antigo subordinado. O major sabia que, de todos ali, Houston era o que mais tinha motivos para querer Goldfield morto. Claro, ninguém tocava no assunto – as feridas que o velho lobo de guerra sofrera no Vietnã e nas décadas seguintes servindo à WAC havendo todas se fechado muito mais rápido que aquela. Se a dor recusava-se em abandoná-lo, era nítido ao major, porém, como ela seguia impelindo o coronel à ação.

A porta da sala se abriu. Dois soldados da WACSF, subordinados ao major e ainda em trajes táticos, depositaram um cofre de ferro em cima da mesa. O coronel apanhou um controle remoto e pausou o vídeo na TV.

– Senhor, o cofre encontrado no apartamento de Goldfield no Cairo, como requisitou! – informou um deles.

Os dois altos oficiais da WAC focaram sua atenção no objeto e na tranca que o selava, ansiosos não só por rompê-la, mas descobrirem o segredo em seu interior, e como poderia se relacionar à narrativa que o agente renegado lhes apresentava...


Como abrir o cofre e revelar o Arquivo Secreto:

- A tranca envolve um giro para a esquerda, um para a direita, e outro à esquerda.

- Esquerda será abreviada como "esq", e direita como "dir".

- O giro para a esquerda ou direita deve vir acompanhado do número (de 1 a 10) até onde a tranca deve se mover, para então girar ao número seguinte do lado oposto. Exemplo:

"esq3dir6esq9" – Esquerda 3, Direita 6, Esquerda 9.

"esq5dir9esq4" – Esquerda 5, Direita 9, Esquerda 4.

- A combinação correta para abrir o cofre envolve as seguintes dicas, todas espalhadas pelo texto da história "Crônicas de um Espião: Tambores na Noite" antes deste capítulo:

1º giro, à esquerda: Número de balas do pente padrão de uma pistola soviética Makarov.

2º giro, à direita: Número de agentes de campo da CIA que realizaram a invasão ao acampamento de Slavin, no início da história.

3º giro, à esquerda: Hora da noite em que se inicia o toque de recolher imposto pela FPN em Asiäkulä.

- Esses números devem ser inseridos no mesmo esquema:

"esqXdirYesqZ" – substituindo as letras maiúsculas pelos números.

Para testar se a combinação é correta, cole-a no seu navegador de Internet, seguida do texto abaixo, sem os espaços:

. webnode . com (junte tudo, eu separei para o site não considerar spam)

Se a combinação for a certa, você será direcionado(a) à página onde o Arquivo Secreto se encontra.

Boa leitura!